A força das mulheres nas rodovias


No dia 8 de março, dia internacional da mulher, a Triunfo Concebra celebra a força das profissionais que trabalham na maior concessionária rodoviária do país. Seja no setor operacional ou no administrativo, elas demonstram suas competências em ambientes e cargos antigamente ocupados apenas por homens. Na empresa as mulheres representam 36% dos colaboradores.

Pode ser socorrista, enfermeira, médica, engenheira, operadora de tráfego, atendente na praça de pedágio, atendente do SOS Concebra ou auxiliar de sinalização viária. As mulheres têm o espaço delas ao longo do trecho de 1.176,5 quilômetros de rodovia entre Distrito Federal, Goiás e Minas Gerais. Com a força, inteligência e delicadeza elas são profissionais respeitadas e essenciais para a qualidade do trabalho desenvolvido na empresa.

Na área de resgate, a Marina F. Oliveira, 29 anos, está pronta para atender. Como médica ela atende diversos casos com gravidade leve a grave no trecho da Triunfo Concebra. “Quando troco o salto pela bota, o vestido pela gandola me transformo em médica resgatista. Daí em diante não há batom nos lábios, cabelos ao vento, há uma mulher preocupada com aqueles que transitam pela rodovia”, relata Marina.

Ela conta um dos momentos mais difíceis na rodovia. “Certo dia de folga fui em um aniversário e transitando pela BR-153 me deparo com um acidente, ao avaliar as vítimas vejo meu pai entre elas. Desacordado e com machucados por todo o corpo, junto com o resgate da empresa que chegou em alguns minutos realizamos o primeiro atendimento e solicitei ao médico regulador para acompanhá-lo na ambulância, não como filha mas como médica resgatista que sou”, explica.

Ela conta que ser mulher é ter que agir com o coração de uma resgatista, a força de “Kate Marrone” (policial de filmes antigos) e a delicadeza de uma mulher. “Não trocaria o que eu sou: mulher, esposa, filha e médica socorrista por absolutamente nada nesse mundo”, finaliza.

No SAC da Concebra a atendente Bruna Lúcia da Costa, 23 anos, há mais de um ano trabalhando como atendente comenta que vários atendimentos marcaram esse tempo de trabalho na empresa. Ela cita uma ligação que recebeu de usuário que havia capotado o carro e estava preso nas ferragens. “Solicitei para ele me passar o quilômetro do acidente e foi quando ele disse que não tinha como verificar, pois estava preso nas ferragens. Foi um choque”, comenta. Bruna precisou manter a calma e continuar o atendimento. O motorista foi socorrido pela equipe de resgate da Concebra. “É gratificante trabalhar ajudando as pessoas num momento de emergência”, declara.
 
Na Triunfo Concebra as mulheres trabalham e transformam o seu dia a dia em 1176,5km de rodovias.




Fonte: Comunicação - 08/03/2017 às 08:24

Visualizar feed RSS das noticias